Floresta Encantada, Ana Ruas 2018

A obra “Floresta Encantada”, (tinta acrílica s/ lona, 500 x 500 cm) que foi exposta no MARCO - Museu de Arte Contemporânea de MS surge da pintura gestual deixada por crianças no suporte, sobre o qual a artista dialoga, concluindo a pintura que se configurou uma “floresta encantada” a partir de conversas com as próprias crianças. A obra passa a adquirir novos significados dentro do museu a partir da interação com o público visitante. Durante a exposição, um número representativo de pessoas participaram da programação, que incluía desenhar, cantar, dançar, meditar, fazer pic-nic, tai-chi, brincar de boneca, etc, diante da pintura e se relacionando com ela. Desde então a obra ganhou novas versões e tem se desdobrado em outros espaços em Campo Grande em outras cidades como Corumbá e São Paulo.

“Floresta Encantada”, portanto, se configura uma obra em processo, criada em parceria com as crianças, que serve como disparadora de ações educativas dentro e fora dos espaços expositivos, trazendo temas e debates a cerca de diversos assuntos entre eles questões como a narratividade das falas infantis através de imagens, o encantamento com a natureza e o pensamento pictórico e gráfico do desenho das crianças.

A obra exposta discutia o processo e desmistificava o status do artista. Tanto no museu, quanto no bairro ou em um auditório, a obra cria intercâmbios, coleciona metáforas e se aproxima do público. São consequências de anos de convivências dentro do ateliê, nos projetos sociais na periferia e na parceria constante de projetos e exposições dentro do museu.

Foi após o comentário de uma criança que o assunto Floresta passou a fazer parte da pesquisa, com mesclas de narrativas imaginárias, memórias e registros fotográficos, pinceladas infantis entrelaçando-se com as pinceladas da artista que pintou, desafiando o tempo para cumprir prazos. O trabalho abre espaço para ações simples como desenhar, cantar, dançar, meditar, pic-nic, tai-chi-chuan, brincar de boneca, escrever cartas p fada, namorar, etc. E assim pode desmistificar o espaço expositivo museográfico abrindo canais para uma participação ativa do espectador.

A obra Floresta Encantada é uma pintura desenvolvida a partir de pinceladas de crianças, que foram convidadas a explorar gestualmente a tela, a uma altura de um metro e meio do chão. O ateliê além de ser o meu local de produção, também é um laboratório voltado para arte-educação, em busca de poéticas individuais. No local, crianças experimentam e vivenciam processos em artes visuais. Uma criança que usava cor verde falou de uma floresta. A partir daí este assunto tomou conta da minha pesquisa, buscando assim, formas orgânicas em mesclas de narrativas imaginárias, de memórias e de registros fotográficos, que pudessem povoar a tela.

 Ana Ruas/2018

Tag3 - Desenvolvimento Digital